#pelletsmaisperto Município de São Brás de Alportel

A Câmara Municipal de São Brás de Alportel implementou, nos últimos anos, novos mecanismos de poupança energética, continuando a “investir na qualidade ambiental”, associada a uma “rigorosa gestão financeira”.

Em 2012, foi instalado um sistema de aquecimento de águas, que utiliza pellets de madeira como combustível, nas piscinas municipais cobertas da autarquia que “aliado à utilização dos painéis solares garante as necessidades de aquecimento das piscinas através de energias renováveis, amigas do ambiente”.

A caldeira, com 350 kW de potência, produz cerca de 600 000 kWh de calor por ano, representando um consumo anual de pellets na ordem das 140 toneladas, segundo os dados fornecidos pela autarquia. É de salientar, ainda, a poupança de 150 tonCO2/ano.

“As principais motivações [para a instalação da caldeira a pellets] foram o diferencial de preço relativamente ao gasóleo de aquecimento (combustível utilizado anteriormente) e a utilização de um recurso renovável produzido no nosso país. A escolha dos pellets em relação a outros tipos de biomassa foi a garantia do seu fornecimento e a fiabilidade/autonomia dos sistemas.” revela o Eng.º Filipe Sobral, fonte da autarquia.

“A poupança na factura energética cifra-se nos 50 000€ anuais” referiu, recomendando a introdução de medidas similares em municípios vizinhos: “Sim, claro [que recomendaria], tanto pela redução de custos como pelo uso de fontes de energia renováveis. Tenho notado uma grande apatia no recurso a estes sistemas nos municípios vizinhos porque as pessoas não se querem chatear”.

Na opinião do Eng.º Filipe Sobral, “O governo e sector público deverão criar medidas que visem a implementação dos sistemas de produção de energias renováveis pelo menos dos edifícios de maior consumo (tanto públicos como privados) de forma a fomentar o consumo de recursos produzidos no nosso país.”

A logística do fornecimento de pellets foi também abordada: “…é superior à logística do abastecimento do gasóleo ou do gás e isso na minha opinião será a maior condicionante. Se houvesse uma distribuição mais próxima dos locais de consumo poderia ultrapassar-se esta situação.”. Afirmou, no entanto, que “os pellets são normalmente entregues uma semana após o pedido e nunca houve falhas no fornecimento” num período de 3 anos.

O projecto foi co-financiado a 65% pelo PO Algarve21.

Fontes:

Câmara Municipal de São Brás de Alportel

Diárionline: região sul (edição de 22 de Novembro de 2013)

Ventil – Engenharia do Ambiente, Lda.

Related posts